Perseguição: Igrejas são impedidas de funcionar na Ásia Central

Thaís , Publicado em 30/01/2018

As igrejas evangélicas do Turcomenistão, na Ásia Central, foram as únicas a não obter registro oficial do governo para funcionar. Por isso, enviaram uma carta apelando a ajuda do presidente Gurbanguly Berdimuhamedov para receber a licença. Na carta, é mencionado que o país alega ter liberdade de religião. No documento, são citados vários exemplos de restrições impostas aos cristãos no país; além de pedir um prédio para realizar os cultos, as igrejas também pediram permissão para abrir uma livraria cristã. Segundo o ‘Portas Abertas’, algumas pessoas já foram presas e igrejas tiveram batidas policiais durante seus cultos. Alguns até mesmo perderam seus empregos quando se tornaram cristãos. Perfil do país O Turcomenistão é uma ex-república da extinta União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS), faz fronteira com  Irã, Afeganistão, Uzbequistão e Cazaquistão. A independência nacional foi conquistada no início da década de 1990. Desde então, o país passou a integrar a Comunidade dos Estados Independentes (CEI) – bloco formado pela Rússia e as antigas repúblicas da URSS. A população de 5.109.881 habitantes professa, em sua maioria (88,2%), a fé islâmica. Segundo o ‘Portas Abertas’, atualmente, existem 69.900 cristãos no país, que ocupa a 68º na Lista Mundial de Perseguição. Ore para que Deus toque no coração do presidente Gurbanguly Berdimuhamedov, para que ele possa agir em favor da liberdade de religião que o país diz ter. Que mudanças aconteçam na prática e não somente na teoria. Interceda para que as igrejas tenham direito a um lugar de culto, e não precisem mais se reunir secretamente.

Outros posts como este