Irmãs são amarradas por vários dias após se converterem a Cristo

Thaís , Publicado em 06/01/2018

Duas irmãs adolescentes que se converteram do animismo ao cristianismo foram amarradas e trancadas por causa de sua nova fé por quatro dias, em Laos, por seus familiares. Nani, de 17 anos, e Nha Phong, de 16 anos, se converteram a Cristo em 2016 depois de serem evangelizadas por um primo. “Ele é pastor numa igreja perto da nossa aldeia. Gostei muito do que eu escutei, e por isso eu me tornei cristã”, disse Nani à organização Portas Abertas. As irmãs logo se envolveram em uma igreja, mas sua nova fé teve repercussões entre a família. Os pais e os parentes das meninas, que são animistas devotos, se opuseram fortemente à decisão de se tornarem seguidoras de Jesus. “Uma vez, quando nós fomos à igreja, nossa família ficou muito brava com a gente. Eles nos disseram para não ir. Meu primo e meu sobrinho disseram que eu precisava voltar para minha antiga religião, senão eles iriam me bater e me forçar a sair da igreja”, disse Nani. Três semanas depois, quando as meninas foram para a igreja, seus familiares — cerca de seis a nove pessoas — as seguiram e as arrastaram para fora do culto. Elas foram levadas de volta à sua aldeia, onde foram trancadas e mantidas amarradas durante vários dias. “Eles me levaram para a casa de meu tio e me perguntaram outra vez: ‘Você ainda acredita em Deus?’ Eles me ameaçaram e me disseram que, a menos que renunciasse à minha nova fé, eles me manteriam amarrada”, relata Nha Phong. As irmãs foram libertadas somente após quatro dias. “Nossa família ainda estava muito chateada com nossa decisão de permanecer firme em nossa fé em Jesus”, conta Nha Phong. Apesar dessa perseguição, as meninas dizem que sua fé tem se fortalecido a cada dia. “Eu acredito que nossa força para permanecer firme é um dom de Deus. Deus nos deu a paixão de acreditar”, disse Nani. “Há um versículo na Bíblia em Efésios 6 — quando as pessoas lutavam no passado, elas usavam um escudo, e eu quero ter a fé como um escudo. Quando o maligno tentar disparar flechas contra nós, usarei o escudo para me proteger. Então eu tenho que colocar minha fé em Jesus”, ela acrescentou. Enquanto o pai de Nani e Nha Phong continua contra a escolha de suas filhas, sua esposa mostrou interesse no cristianismo e até mesmo acompanhou as adolescentes na igreja. “Foi muito difícil não obedecer ao nosso pai, que é o chefe da família. Mas queremos obedecer Jesus mais do que ninguém. Nós sabemos que Jesus morreu por nós e não queremos voltar para nossa antiga religião. Mesmo que seja difícil, queremos seguir Jesus”, ressaltou a jovem. Embora as meninas tenham permissão para ir à igreja aos domingos de tempos em tempos, elas continuam enfrentando perseguição. “O chefe da aldeia disse a nossa mãe que se nós, suas filhas, continuássemos indo à igreja, eles nos jogariam na prisão. Eles disseram que devemos sair da aldeia”, disse Nha Phong. Em maio, as autoridades prenderam as meninas junto com outros sete cristãos. Pouco tempo depois, as irmãs foram libertadas e fugiram para outra aldeia. Hoje, elas vivem na aldeia dos primos cristãos. Contexto A Portas Abertas pede orações aos cristãos de todo o mundo para que os pais e primos de Nani e Nha venham a crer em Jesus, e que Deus dê força às meninas para elas se manterem firmes. O Laos é classificado como o 24º país que mais persegue cristãos no mundo, de acordo com um ranking desenvolvido pela organização. Os budistas representam mais de 57% da população do país, cerca de 35% aderem às religiões indígenas e apenas 3,4% da população é cristã.

Outros posts como este